The best – National Park Kornati, Croácia 🇭🇷

Na terça (29/05) estávamos ancorados em Juzna Frnaza, próximo ao farol, acordamos com um belo dia, lavei algumas roupas, o Renato lavou a teka do convés e fez vôo de Drone e eu arrumei o barco internamente. Aproveitamos para um banho de mar com água claríssima e pela primeira vez lavei a louça com água do mar e depois enxaguei com água doce.
Também foi dia de inaugurar minha “estranha” panela de pressão para fazer um feijão (ela tem um modelo bem diferente do que estamos acostumados, mas deu tudo certo). Aproveitamos muito o dia e pernoitamos lá sozinhos na ancoragem sob a luz da lua e procurando as estrelas do hemisfério norte.
Na quarta levantamos ancora cedo e rumamos para uma grande cidade, Zadar. Um dos cartões postais da Croácia 🇭🇷, que além de ser uma cidade histórica com ruínas medievais, tem também um ecperimento arquitetônico chamado Órgão do Mar, uma grande escadaria de marmore à beira mar, que quando a água entra na tubulação emite sons como se fosse um órgão.

Entramos no canal e localizamos o posto de combustível, abastecemos mas não havia disponibilidade de água… quase me arrependi de ter lavado a roupa no dia anterior kkk. Finalizamos e o Renato fez a manobra de retorno ao canal e rumamos para um dos lugares mais fantásticos que já conhecemos aqui.

O Parque Nacional Kornati, que reúne 89 ilhas e vestígios da era Bizantina. A paisagem é simplesmente encantadora e respondeu a pergunta que eu faria: porque é um parque?! Achamos um local de ancoragem e logo chegou um bote com o agente do Parque cobrando a taxa de pernoite de 600,00 kunas, aproximadamente 400,00 reais. Decidimos pagar e permanecer na ancoragem pois estávamos realmente encantados com a beleza do Parque. As montanhas com um baixo capim verde claro e centenas de muros de pedra, em vários sentidos delimitando as antigas propriedades e o afloramento rochoso desenhando formas incríveis no relevo, parecendo uma pintura feita pacientemente.

Pernoitamos sozinhos na ancoragem e acordamos com um belo dia de sol e o Renato abrindo a gaiúta para que eu levantasse e olhasse para fora… a paisagem era um desenho…. mar liso refletindo todo o esplendor daquelas montanhas e seus contornos. Depois do café saímos de bote com a Bella e contornamos algumas ilhotas e no retorno entramos novamente na água para aproveitar aquele lugar tão mágico.
Levantamos ancora e seguimos pelo Parque velejando por mais de sete horas com vento não forte, mas constante, na medida certa para podermos sentir o vento, passar pelas ilhas e encostas podendo observar seus detalhes e sentir somente o barulho das ondas do mar. Mesmo não sendo obrigatório, o Renato acionou pela primeira vez nosso holding tank, sentimos necessidade de também preservar aquela linda e tão agradável água cristalina.
No caminho que seguíamos havia velas por todos os lados, uns vindo outros voltando, tem sido maravilhoso estar num mar com centenas de velas em todas as direções que olhamos. A Croácia 🇭🇷 respira vela, é um lazer muito comum aqui com barcos de todos os tamanhos e nas ilhas e pequenas cidades sempre há um Porto com capacidade de receber embarcações.
Após 22 milhas náuticas ancoramos numa ilha chamada Murter, praia de nudismo e com grande número de trailer e motorhomes, ou caravan, como chamam aqui. Passamos em Murter o último dia do mês de maio e a noite o Renato viu a previsão do tempoce traçou nossa rota para o dia seguinte. Namastê 🙏🏼

Dias 538 a 540,  velejando na Croácia, morando a bordo da Pharea. 29 a 31 de maio de 2018.

Publicado em Pharea na Croácia 🇭🇷 | 1 Comentário

Aniversário, velejando em Veli Rat, Croácia 🇭🇷

Segunda-feira (28) começando o dia com super café da manhã, doces e salgados fresquinhos que o Renato foi buscar de bote na cidade, também… eu estava de aniversário então o dia todo foi de mimos para mim.

Ainda pela manhã, levantamos ancora e rumamos para Veli Rat, o vento não apareceu e assim fomos curtindo o caminho que é encantador. Passamos por inúmeras ilhas e povoados, depois entramos num canal de água transparente, passamos as bóias e ancoramos numa baía lindíssima. Descemos e fizemos uma pequena trilha que nos levou a um grande farol, onde o Renato fez belas imagens de Drone. Confira o video…

Teve churrasco para comemorar aniversário e o dia foi ótimo. Mais tarde recebemos a visita adivinha de quem? Do funcionário da concessionária responsável por administrar aquela área, nos cobrando 260,00 kunas (cerca de 160 reais). O Renato disse: ok! Você oferece poita, água, eletricidade… e ele disse, não… ainda não há… só futuramente… então, agradecemos a ele e levantamos ancora e dormimos a uma milha dali…. lugar onde apreciamos um lindo por do sol.
Este foi um aniversário bem diferente…. longe dos familiares e amigos mas com o coração repleto de expectativas e de vontade de conhecer tantos lugares quantos forem possíveis nesta travessia. Enquanto o mundo rola lá fora… aqui só um sentimento de paz e tranquilidade… stress… apegos… ficaram para trás. Que venham muitos anos a serem comemorados. Namastê 🙏🏼

Dia 537 velejando na Croácia, morando a bordo da Pharea. 28 de maio de 2018.

Publicado em Pharea na Croácia 🇭🇷 | 3 Comentários

Começou a velejada: Otok Cres e Otok Krk, Croácia 🇭🇷

É sexta-feira (18) e o Renato foi até a Marinha Croata, logo após nosso café, gerar e quitar uma taxa pelos dias que teremos de navegação até nossa saída para Montenegro. Sempre que a embarcação pernoitar fora da Marina, esta taxa deve ser recolhida e como ficaremos, praticamente um mês, o valor pago foi de 1.600,00 kunas (em torno de 900 reais).

Agora iniciamos nossa navegação e o primeiro destino é Otok Cres, a Ilha mais ao norte do Mar Adriático, onde já estivemos com nossos amigos brasileiros Lili e Pádua. Saímos do pier de Rijeka, onde estávamos desde o nosso embarque na Pharea, a cerca de 40 dias. Abrimos as velas e fizemos boa navegada, um sentimento de liberdade mesclado com felicidade, enfim estamos no mar conforme planejamos!

Após 32 milhas fizemos nossa primeira ancoragem, entramos em Cres, que forma um saco e ficamos mais a boreste. O dia estava ensolarado e claro. Almoçamos a bordo, depois fomos de bote para o pier público, onde o deixamos amarrado com um cabo de aço e cadeado e caminhamos pelo centro da pequena cidade lotada de turistas andando a pé ou de bike. Como a Ilha fica próxima de Rijeka, que é uma grande cidade, torna-se um lugar muito visitado e de fácil acesso. Aqui há a empresa Jadrolinja (lê-se Iadrolinia) que faz linha entra várias ilhas levando carros, pessoas e cargas. Para nossa felicidade achamos uma Pekara e lá fomos nós comprar doces e salgados de massa folhada, uma delicia!

Bem, a cidade é pequena tem ruínas de séculos passados e uma boa Marina, nos padrões das Marinas daqui… Nos dias que se seguiram fizemos vários passeios contornando a costa entre as plantações de olivas, abertas a visitação, porém nesta época do ano estão em florada.

Num dia destes encontramos um açougue e inauguramos a churrasqueira… saudades dos bons cortes de picanha, fraldinha, entrecôt… aqui os cortes são diferentes e o churrasco fica menos saboroso. Aliás aqui come-se pouca carne bovina, a maior oferta é porco, frango ovelha. Ainda não havíamos entrado no mar e o Renato se animou, tinha sol mas a água ainda estava bem fria… depois tomou o tradicional banho no cockpit, inaugurou a ducha que ele havia substituído e agora todo dia é assim… Corajoso!

O centro antigo de Cres é uma graça, lanchas pequenas ficam ancorados no canal bem no meio do centrinhos e logo se avista o portal de acesso para a cidade velha com com ruelas que parecem um labirinto para nós, uma vez que as pessoas daqui vão e vem pelas ruelas sem nenhuma preocupação em se perder. A vila começa à beira mar e sobe a encosta, a impressão é que são todas casas novas, pintadas sempre em tons pastéis, telhados marrons e com a pintura sempre impecável (parecem todas novas, até as seculares).

Vimos que há uma preocupação em manter vias e ciclovias para o trânsito de turistas, ou seja, investem para que o ambiente seja acolhedor e dê opções de passeios, quer para ver belezas naturais, quer para conhecer propriedades rurais que abrem as portas para a experiência com seus produtos, no caso, vinhos e azeites.

Nos chamou a atenção enquanto passeávamos à beira mar, a existência de pequenas “lajes” onde as pessoas estendem suas toalhas para tomar banho de sol. A Praia é de cascalho graúdo e nos locais onde seu acesso é íngreme, existem estas pequenas lajes feitas para esta finalidade. No caminho vimos uma mulher fazendo topless e ao retornarmos para o veleiro vimos que o casal da lancha ao lado estava nu… claro que ficamos surpresos e isso é provinciano kkk mas aqui na Croácia é permitido e há muitas praias de nudismo, com o tempo vamos acabar nos acostumando 😎.

Véspera de deixar Cres e fomos a gelateria tomar nosso último gelato.
No dia seguinte (terça-feira) levantamos ancora e rumamos para Otok Krk, outra grande Ilha, mais ao sul, com várias vilas espalhadas. Já havíamos visitado de carro, mas chegar por mar é muito mais lindo. Nos dirigimos para Punat e jogamos ancora em frente a uma pequena Ilha onde se conserva um monastério desde séculos passados. Tivemos uma breve chuva na quarta-feira e quando parou fomos a cidade, deixamos o bote no pier público com o cabo de aço e tudo certo! Aqui também há uma longa via para caminhadas e bike, vimos também, contornando a costa em frente à cidade, um “camping” de trailers e motorhome fantástico. Incrível a quantidade de toldos, acessórios e tudo o que se possa imaginar em termos de conforto e praticidade… ficam parecendo pequenas casas equipadas.No retorno tomamos um gelado, passamos pegar um pão na Pekara e fomos até  a loja de náutica da Marina Punat pegar alguns itens que o Renato precisava.

Enfim chegou quinta-feira, dia de realizar o último compromisso da Pharea. Levantar o barco para vistoria, um último item que estava faltando certificar, para que tivéssemos renovado a habilitação da embarcação para os próximos cinco anos. No horário marcado o Renato levou a Pharea para a área de serviço da Marina Punat e lá o Travellift levantou e trouxe a Pharea para o seco, onde foi feita a vistoria.

Havíamos reservado para lavar o fundo, mas não foi preciso, pois não tinha praticamente nada a ser limpo, o fundo estava ok! Ficamos impressionados positivamente com a agilidade e profissionalismo dos funcionários envolvidos, tudo feito com muita segurança, rapidez e competência, sem blá-blá-blá.

Este foi nosso último compromisso… que maravilha! Somente ao passarmos em Split, teremos que encontrar com nossa Broker Nina, que gentilmente tem recebido e guardado documentos endereçados a nós! Comemoramos a realização do último compromisso com dois grandes canecos de Lasko (chopp) e uma pizza, que são muito boas aqui.

Estamos no mar há sete dias, tem sido ótimo, o tempo está estável e ensolarado e ainda permanecemos abrigados, o que deve acontecer até passarmos toda a costa da Croácia, pois praticamente uma Ilha já emenda com a outra. As paisagens são incríveis, rochas, montes, castelos, torres, água de um azul turquesa encantador… vários veleiros, lanchas e barcos de pesca se deslocando, dando sinal que a temporada de verão está próxima e pelo que soubemos, na temporada a Croácia recebe milhares de turistas. Não poderia ser diferente, lugares lindos, limpos, comida saborosa e câmbio ainda atrativo. Há uns três anos atrás uma vizinha me disse: vou de férias para a Croácia e eu pensei… nossa que destino estranho… pura ignorância minha, a Croácia é um ótimo destino, se você tem vontade de conhecer, venha que não vai se arrepender e vai brindar muito com os bons vinhos feitos por aqui. Nasdrovia 🍷🍷Namastê 🙏🏼

Dias 526 a 532 velejando na Croácia, morando a bordo da Pharea. De 18 a 24 de maio de 2018.

Publicado em Pharea na Croácia 🇭🇷 | 4 Comentários

Velejando em Otok Rab, Otok Pag (Novalj) Croácia 🇭🇷

Sexta (25) levantamos ancora e fomos para a pequena cidade de Krk abastecer de combustível e água. Como todas as cidades que temos visitado, quer no continente ou nas ilhas, geralmente há uma concessão responsável pela manutenção do pier central, digamos assim, que pode ser ou não a Marina local. Então entramos na cidadezinha, que conserva um belo centro histórico medieval, com igrejas e castelos e ao fundo do canal que passa em frente à cidade, paramos para abastecer. Uma graça a cidade, como todas, com a pracinha, o passeio, a ciclovia… tudo para receber o turista e auto guiá-lo aos locais de visitação.

Próximo destino e bem recomendado pela antiga proprietária da Pharea, a Ani: Otok Rab. Descobri porque… ao chegar a gente se depara com quatro lindas torres das igrejas construídas sobre a encosta, um encanto.

Ancoramos próximo à cidade, onde havia um campeonato de remo e caiaque. Ficamos ansiosos para desembarcar e conhecer o lugar. Novamente deixamos o bote no pier público e fomos andando desvendando o lugar. Um belo caminho calçado levava para as igrejas e para o centro da cidade.

Fotografamos muitos locais bonitos… soubemos um pouco da história local, fomos ao mercado e tomamos um drink em frente à Marina, contemplando o vai e vem dos barcos e das pessoas.

Dia quente e ensolarado, voltamos para o barco para um churrasco e mais tarde brincamos na água, foi meu batismo no Adriatico, estava friozinho mas a transparência da água vale a pena.

Como precisamos descer a costa da Croácia até o dia 18/06, no domingo seguimos para Otok Pag, outra bela Ilha, jogamos ancora na baía em frente a cidade de Novalj. Logo fomos abordados para cobrança de taxa de ancoragem pela concessionária que administra o Porto local, como já estávamos fundeados e a cidade era bem linda, pagamos 140,00 kunas (mais ou menos 80,00) para pernoitarmos. Descemos com o bote e o deixamos no pier público, amarrado com o cabo de aço e cadeado. Andamos pela cidade e uma rua acima da beira mar, ruelas estreitas e as casas muito juntas, sem nenhum espaço praticamente entre elas.

Achamos um cantinho com a preservação de uns ladrilhos antigos, como temos na Praça Tiradentes em Curitiba, toda coberta com estrutura metálica e vidro, preservando e mostrando a história. Há também um Museo Arqueológico e muitas outras ruelas, com Pekaras e restaurantes para atender aos turistas. Reparamos que deve ser uma Ilha bem badalada por gente jovem, pois já haviam muitos turistas na faixa dos vinte e poucos anos, perambulando também pelas ruas. Passeamos, lanchamos, tomamos um drink à beira mar e percorremos alguns quilômetros da Praia… que é diferente das nossas, com muitas rochas e cascalho e por vezes com aquelas “lajes” que cabem uma ou duas toalhas e lá eles tomam banho de sol.

Soubemos que felizmente a legislação aqui não permite construções acima de três pavimentos nas primeiras ruas em frente a praia e isso colabora muito para dar um real clima mediterrâneo… casas baixas pintadas em tons claros e telhados marrons…. sempre bem cuidadas.
Pelo que estamos vendo, neste mês conheceremos muitos lugares legais aqui e a melhor parte é que já está mais quente e temos pego dias lindos e ensolarados.
Estamos nos sentindo verdadeiros turistas velejadores, muito bom! Namastê 🙏🏼

Dias 533 a 536 velejando na Croácia, morando a bordo da Pharea. De 25 a 27 de maio de 2018.

Publicado em Pharea na Croácia 🇭🇷 | Deixe um comentário

Guardando os alimentos e cultivando bons sentimentos na Pharea

Passamos esta semana preparando-nos para sair. Agora está bem próxima a saída para o mundo… como disse o Renato quando estávamos em Antonina, PR “estamos ancorados aqui, mas poderíamos estar em qualquer lugar do mundo…” Verdade, o tempo foi passando, os dois anos de vida a bordo no Brasil 🇧🇷  foram ótimos  e agora começamos a viver a bordo aqui fora. A escolha de vir para a Croácia foi ótima para nós!

O Renato já está com tudo em ordem na Pharea e eu… bem,  estou empenhada em organizar os itens de minha lista de mercado. Já compramos os secos…. e agora ainda falta comprar e preparar as frutas, legumes e temperos. Compramos batatas sem lavar e as guardei bem espalhadas, em local escuro. As cebolas, escolhi as bem firmes e menores para usarmos uma a cada receita. Li que cebolas e batatas não podem ficar misturadas em função do gás que exalam e que acaba por afetar sua durabilidade. Alho, separado também. Gengibre, untei todo ele com óleo de cozinha, passei filme plástico e coloquei na geladeira. Laranja, banana, limão siciliano, que é a espécie que usam aqui, maçã e tomate… deixei de molho em água com vinagre e depois sequei e embalei um a um também em filme plástico e guardei na geladeira.

 

 

 

 

 

 

 

Adotamos diariamente a salada de brotos, assim tenho três vidros e todos os dias um deles está germinado e pronto para consumo. A ideia é ótima, além de conter alto índice de proteína, comer um prato de salada antes da refeição é tudo de bom 🥗.

 

 

 

 

Farinha de trigo, açúcar, feijão, lentilha, aveia… o melhor acondicionamento é mesmo em garrafa pet, com uma folha de louro para inibir insetos (como aprendi com minha amiga Claudia, do Veleiro Bravo). Compramos café brasileiro em grão torrado e fizemos moagem grossa para nossa cafeteira french press. Alguns enlatados milho, funghi, champignons, ervilha, atum, feijão, etc… temperos, azeite, aceto, etc…

A pasta (macarrão) mantivemos no pacote e nos locais onde estoquei a comida, distribui folhas de louro-cravo, o que é muito comum aqui… dá quase para dizer que toda casa tem pelo menos um pé de oliva e um de louro-cravo.

Compramos bacon e carne suína defumada embaladas a vácuo para garantir um bom feijão temperado. Ovos…. muitos e só o que tenho feito é vira-los de cabeça para baixo e desvirá-los… não compramos vaselina para passar, o que é bom para prolongar seu uso.

Agora vou acompanhar e saber se a forma como armazenei os alimentos para estocagem vai funcionar. Espero que sim…. difícil será viver sem o pão maravilhoso daqui; sem as Pekaras, com seus doces e salgados de massa folhada maravilhosos!

 

 

Foi assim que arrumei os alimentos e agora faremos as refeições a bordo e é claro sempre que  descermos em algum lugar que tenha uma Pekara e uma Gelateria… lá estaremos nós 😀!

No dia 17/05, véspera de nossa saída quando estava lavando as frutas para embalar, recebemos a visita da Ani, do Zoran e da Maya e seu esposo. A Ani e o Zoran, antigos proprietários da Pharea, que tão bem cuidaram dela e que parece que nos esperaram para comprá-la, já que estava à venda há algum tempo. A visita foi para trazer alguns guias daqui e também para nós desejar bons ventos mundo afora. A Ani, muito simpática e afetuosa, pegou em minhas  mãos e disse: Enjoy!!!! Foi muito bom tê-los visto antes de partir, carregamos um pouco deles conosco através da Pharea e um ótimo sentimento no coração ❤. Namastê 🙏🏼.

Dias 522 a 525 na Croácia, morando a bordo da Pharea. De 14 a 17 de maio de 2018.

Publicado em Pharea na Croácia 🇭🇷 | 3 Comentários