1 ano de vida a bordo na Turquia 🇹🇷

Hoje, 26 de setembro, faz 1 ano que estamos morando a bordo na Turquia 🇹🇷.

Quando iniciamos nossa vida a bordo na Europa, após comprarmos o barco na Croácia 🇭🇷 em 2018, nem imaginávamos que poderíamos ou que iríamos nos demorar tanto nos lugares. 3 meses na Croácia 🇭🇷, 2 meses e meio em Montenegro 🇲🇪, 3 meses na Grécia 🇬🇷, 7 meses na Itália 🇮🇹, 1 ano e meio na Tunísia 🇹🇳, 3 meses em Malta 🇲🇹 e agora 1 ano na Turquia 🇹🇷. Creio que essa falta de urgência em navegar rápido por todos estes países se dá pela nossa escolha de conhecermos mais a fundo os lugares, sem compromissos de agenda ou qualquer outra pressão. No mar a pressão que sofremos é decorrente das condições climáticas e das questões relacionadas a nossa permanência, como estrangeiros nos diferentes países.

Também aqui na Turquia 🇹🇷, foi a primeira vez que passamos o inverno todo na âncora, sem o suporte de uma Marina. Foram muitos os dias frios, chuvosos e ventosos, principalmente quanto o vento soprava do norte, sempre frio e forte, o que fazia com que ansiássemos pela mudança de estação. A neve chegou e pudemos apreciar o topo e as encostas das montanhas que nos cercavam na ancoragem, não mais rochosas e sim brancas, fazendo o visual ainda mais belo. Internamente no barco, não usamos aquecedor e a temperatura mais baixa foi de 3 graus. Para nós foi uma vitória fazer isto e acredite, não foi tão difícil, até porque este ano planejamos fazer novamente.

A Turquia 🇹🇷 é muito bonita, até agora conhecemos a Costa Turquesa, chamada de Riviera Turca, onde se concentra o turismo da costa sudoeste banhada pelos mares Egeu e Mediterrâneo onde há a oferta de muitos passeios de barco, desde pequenas saveiros até escunas gigantes, aqui chamadas de “gullets” que tem seu registro em muitas fotos de turistas, inclusive nós, que sempre nos deparamos com diferentes modelos e tamanhos de escunas.

Provavelmente teremos a oportunidade de irmos para o norte e conhecermos Istambul, uma das cidades mais importantes do mundo, o canal de Bósforo, o Mar Negro e também  Capadócia com seus balões e  formações rochosas únicas,  mas ainda teremos que planejar essa saída.

A interação com os turcos é muito boa, são receptivos, alegres e gostam de estrangeiros e muito de brasileiros 🇧🇷, sempre nos perguntam do Alex de Souza, que é um ídolo do futebol por aqui e acreditem, tem até uma estátua dele em Istambul e eles realmente parecem gostar do Brasil 🇧🇷.

Fonte: Gazeta do Povo

Depois que saímos de Monastir, passamos por Malta 🇲🇹 e Itália 🇮🇹 e nos encontramos com o veleiro Tartuga na Grécia 🇬🇷 e decidimos seguir viagem juntos da Grécia 🇬🇷 para a Turquia 🇹🇷 e assim nos apoiarmos mutuamente em caso de algum imprevisto ou necessidade que felizmente não tivemos até agora, foram muitos bons momentos e ótima parceria durante este tempo e assim como em terra temos bons vizinhos para nos socorrer em qualquer necessidade, como às vezes para emprestar um ingrediente, dar uma  carona e assim por diante. O Andy e a Karina tem sido nossa família por aqui e isto nos deixa muito felizes 😁 e hoje fizemos um churras de hamburgers para comemorar nosso ano juntos aqui na Turquia.

A região que conhecemos tem uma geografia bem expressiva, são altas montanhas, água límpida azul turquesa e vegetação é de pinus ou rasteira, pois a prevalência é rochosa, apresentando   também muitas lindas cavernas, onde tivemos o prazer de desfrutar suas belezas fazendo stand up ou mesmo entrando de bote. Também as cidades, pequenas ou maiores, todas tem sua beleza e se enfeitam para receber um grande número de turistas, principalmente europeus, que desfrutam de um local próximo, belíssimo e com um câmbio ultra favorável.

Outra atração maravilhosa é o “Caminho da Lícia” com mais de 500 quilômetros onde o caminhante contorna cidades e montanhas e aprecia muitas ruínas de antigas cidades, sarcófagos e tumbas escavadas nas encostas rochosas que datam de 2.400 anos atrás. Culturalmente é muito interessante e há muito para ver.

Como estamos nesta região do Caminho da Lícia, sempre que ancoramos em algum lugar, procurarmos a trilha deste pedaço para fazer e descobrir velhas cidades. É um turismo diferente, só depende de ter tempo, fazer sua mochila e seguir adiante, vislumbrando a riqueza construída pelos povos que habitaram a região desde muito antes de Cristo.

Este ano foi também o ano que recebemos mais visitas, todos embriagados pela vontade de sair, viajar e se libertar dos “tempos de Covid” o que para nós foi muito especial, receber a atenção e carinho de familiares e amigos, que estão sempre conosco no coração ❤️. Aqui também fizemos novas e prestativas amizades, que nos possibilitaram requerer a residência temporária facilitando a nossa jornada.

Um fato que nos entristeceu foi estarmos  próximos da Rússia, pois acompanhamos quase que diariamente sua investida contra a Ucrânia e por aqui temos visto muitos russos aproveitando o verão, o que já não podem fazer em muitos outros países devido às restrições impostas em decorrência das ações e desmandos políticos de seu presidente.

Tirando isso,  nós só temos a agradecer por tanto, por ter uma vida tão tranquila e junto a pessoas que como nós querem estar felizes sem para isso precisar se comprometer com muitas coisas… simplesmente vivenciar as experiências, curtir e se concentrar no presente, que é tudo o que temos, pois como dizem os sábios: o passado já passou, o futuro ainda não chegou… assim o que temos é o presente. Namastê 🙏🏻🇹🇷

26 de setembro de 2022. Morando a bordo do veleiro SV Pharea na Turquia 🇹🇷.

Publicado em #Svphareanaturquia | Deixe um comentário

Compartilhando bons momentos na Turquia 🇹🇳

Viajar por diferentes culturas, conhecer novos lugares e ter a oportunidade de vivenciar as tradições locais é sem dúvida o sonho de muitas pessoas, que buscam, após um longo e exaustivo ano de trabalho, por um lugar para relaxar e energizar-se.
Neste último mês de verão, recebemos a visita do amigo, velejador e cardiologista Flávio Studart, que veio de Curitiba para passar alguns dias conosco.
Nos encontramos em Kaş, curtimos a cidade e visitamos os pontos turísticos como o Teatro Grego, as Rock Tombs, os inúmeros sarcófagos espalhados pelas ruas e curtimos o burburinho da cidade, passeando pelas ruelas estreitas e cheias de lojas de objetos artesanais, tapetes e todo tipo de souvenir típico da Turquia 🇹🇷.
Depois seguimos para a região de Kekova, com suas montanhas, ancoragens abrigadas e a pequena vila de Uçagiz, que no inverno tem cerca de 100 residentes, mas no verão, se transforma em virtude de um número sem fim de turistas que vem para fazer passeios de barco e ver um pouco da história da região, representada pelas ruínas, trilhas nas montanhas que levam a pequenas vilas, hoje em ruínas, que foram habitadas pelos Licyos há 2.400 anos.
Aqui natureza e história se encontram e formam um lindo e calmo cenário, interrompido só pelos inúmeros barcos de passeio que todos os dias saem e fazem um vai e vem de turistas turcos e estrangeiros que querem conhecer a região.
Visitamos Simena e subimos a montanha até o Castelo, passando pelas ruelas abarrotadas de lojinhas que chamam os turistas querendo aproveitar o pouco que resta da temporada para vender seus produtos, pois provavelmente dentro de um mês tudo estará fechado e não haverá mais o vai e vem dos barcos trazendo os turistas.
Os locais dividem o ano em duas partes, a que ficam mais isolados e a que recebem os turistas e aí é outro clima e todos procuram algo para fazer e vender. Já conhecemos a Deniz e seu marido, dona de um dos restaurantes de Simena, que pára o que está fazendo e vem nos receber no pier e pede o cabo para amarrar o bote, em frente ao seu restaurante.
Seguimos para Kalekoy e lá encontramos os velejadores alemães Joana e Marcel que convidaram para fazer uma trilha do Caminho dos Licyos no fim do dia. Como ando com meu tornozelo um pouco dolorido, o Renato e o Flávio foram para a caminhada e eu fiquei no barco com a Bella. Eles retornaram umas três horas depois e curtiram muito ver as ruínas de uma antiga cidade e subindo um pouco mais se encantaram com a vista da baía.
Essa trilha foi menor, mas na primeira ancoragem em Kekova, o Renato e o Flávio fizeram a trilha de Aperlai, também no alto da montanha e com ruínas incríveis que demonstram o avançado aprimoramento arquitetônico para aquela época (2.400 anos atrás). Ao retornarem estavam literalmente marrons… tal era a quantidade de poeira, pois aqui não chove desde abril, o verão é o período seco. O Flávio tirou o tênis e pulou na água de roupa e tudo, tamanha era a poeira que carregava no corpo e roupas….
Tivemos ótimos dias, bons passeios, bons churrascos de carneiro (aqui a carne de carneiro é muito apreciada), boas conversas entre um drink e outro, os dias foram passando e inevitavelmente já era hora do Flávio retornar.
Sempre ficamos ansiosos ao esperar os amigos e familiares que vem nos visitar e quando chegam o tempo voa e parece que nunca foi o suficiente. Mas ficamos muito gratos pela visita, pelo bom tempo que passamos juntos, pelos mimos e gentilezas e por compartilhar nosso dia a dia, nossas aventuras e descobertas. Namastê 🙏🏻🇹🇷

10 de setembro de 2022. Morando a bordo do veleiro Pharea, na Turquia. 🇹🇷

Publicado em #Svphareanaturquia | Deixe um comentário

Visitando e se encantando com a Turquia 🇹🇷

Continuar lendo

Publicado em #Svphareanaturquia | 3 Comentários

Encontrando “tesouros” no mediterrâneo 🇹🇷

Com o calor que estamos tendo aqui no hemisfério norte, o melhor horário para ir em terra passear na cidade é a noite, já durante o dia para se refrescar, um banho ou mergulho na popa do barco é perfeito.

A água do mar está quente agora e há muitos lugares que ela se mistura com águas doces superficiais, que são geladinhas, ficando mais refrescante.
Quando estávamos em Saint Nicholas, mergulhando com snorkel, encontrei um polvo e acompanhei por alguns minutos a sua linda e escorregadia caminhada pelas pedras no fundo do mar, neste dia achei algumas conchas (o que não é comum encontrar por aqui), vi alguns restos de ânforas (que usavam para colocar o azeite de oliva) e também achei um brinco feminino de bijouteria. Mas… numa outra ancoragem em Killei, estávamos mergulhando com amigos e eu encontrei algo mais raro… um anel masculino, de prata, com alguns detalhes interessantes que nos motivou a buscar mais sobre o significado da insígnia que há no anel, veja o que encontramos: “O desenho se trata de uma Tughra, é um monograma caligráfico, selo ou assinatura de um sultão otomano que era afixada em todos os documentos oficiais e correspondências. Também era esculpida em seu sinete e gravada nas moedas cunhadas durante seu reinado. Muito elaboradas, tinham versões decoradas para documentos importantes e eram consideradas obras de arte na tradição da Iluminura Otomana.
Este anel em especifico tem a tughra do Sultão Mamude II do Império Otomano. Lê-se: “Mamude Cã filho de Abdulamide e significa: é vitorioso para sempre”.
A tughra era desenvolvida no início do reinado do sultão e desenhada pelo calígrafo da corte ou nişancı em documentos escritos. A primeira tughra conhecida pertencia a Orcano I (1284-1359), segundo governante do Império Otomano e evoluiu até chegar à forma clássica da tughra do sultão Solimão, o Magnífico (1494-1566).
Elas tinham uma função semelhante à Cartela dos Faraós ou ao Monograma Real dos monarcas ocidentais. Todos os sultões otomanos tinham uma tughra individual”. Bem, o anel que achei é uma réplica usada tradicionalmente pelos turcos, pelo valor representativo de sua história, e serviu direitinho no dedo do Renato, tem haver com ele… por vezes olho para ele e me parece um Sultão 😍🤣
E das conchinhas que encontrei, juntando com outras que já tinha, fiz dois quadrinhos para decorar o barco, usando bastidores, tecido e cola e “voilà”…
Para quebrar um pouco o calor, fizemos uma capa, colocada sobre a retranca.

Ela mantém a circulação do ar e faz sombra nas gaiutas e vigias, diminuindo o calor interno e aumentando a área sombreada, além do dog house e do bimini.

Com a Bella, dobramos a atenção para mante-la sempre hidratada e alimentada, pois no calor ela geralmente perde o apetite. Também corto o pêlo dela com a máquina, para ficar mais fresquinho.

E assim passamos os dias quentes de verão, sempre descobrindo um pouquinho mais da rica história da Turquia 🇹🇷⛵🌍. Namastê 🙏🏻🇹🇷

15 de julho de 2022. Morando a bordo do veleiro SV Pharea na Turquia 🇹🇷.

Publicado em #Svphareanaturquia | 1 Comentário

Deleite Turco 🇹🇷

Passar pela Turquia e experimentar “turkish delights” (deleite turco), doces feitos com amido de milho e açúcar, também chamados de “lokum”, é sentir-se dentro da rica cultura turca.
Os doces são coloridos, feitos com água de rosas de damasco, conhecidas por sua fragrância fina, colhidas comercialmente para fazer o óleo de rosa e são também usadas na fabricação de perfumes.
As pétalas das rosas são comestíveis e muito usadas para temperar alimentos, como guarnição e para envolver alguns tipos de doces, sendo preservadas no açúcar.
Com este sabor único, o lokum pode ser encontrado em vários sabores como limão, laranja amarga, bergamota, canela, romã, açafrão, chocolate, hortelã e muitos outros sabores e tem uma textura macia e elástica.Um outro tipo de lokum lembra o marshmallow, e pode ser encontrado com nozes picadas, pistaches, amendoas, avelãs, frutas secas, etc., são enrolados em flocos de coco, pétalas de rosa de damasco ou mais nozes, amendoas e pistache, é um verdadeiro deleite.
A palavra lokum vem do árabe, rāḥat al-ḥulqūm, que significa “conforto para a garganta” e eu diria também para a mente, pois ao comê-los nos trazem boas sensações e saciedade. Sabe-se que a primeira loja de lokum abriu em Istambul ainda no século XVIII e que no Periodo Otomano era feito usando melaço e mel.Entre os tantos doces turcos, destaca-se tambem o Baklava, uma sobremesa tradicional originaria das tribos turcas que habitavam a Ásia Central.
É feito com massa folhada muito fina geralmente recheada com frutos secos como amêndoas ou pistaches e coberta com mel ou xarope doce.
Há relatos que durante o Império Otomano, nas cozinhas imperiais do Palácio Topkapi, já era servida a Baklava e mais tarde, no final do século 19, pequenas confeitarias foram abertas em Istambul e nas capitais provinciais.
Um bom Baklava é reconhecido pelo seu som crepitante ao.morder e por seu cheiro característico de manteiga fresca.
Passeando pelas cidades e vilas da Turquia, prepare-se para experimentar os doces turcos, com certeza você vai gostar, são mesmo irressistívelmente lindos de se ver e muito saborosos.  Namastê! 🙏🏻🇹🇷

02 de junho de 2022. Morando a bordo do veleiro SV Pharea na Turquia. 🇹🇷

Publicado em #Svphareanaturquia | Deixe um comentário