Rotina? Sim, mas muito boa!!!

Outubro chegando ao fim, passamos os últimos dez dias na Prainha do Cantagalo. Impossível não gostar daqui, pelas pessoas queridas que moram aqui a bordo de seus barcos, pelo seu Domingos, que cuida da praia e nos traz sempre um agrado da sua horta, que pode ser um pé de couve, bananas ou a sua farinha de mandioca, feita por ele artesanalmente.
A Cantagalo ou praia dos vagabundos como é chamada pelos velejadores, fica ainda pertinho da cidade, ao lado das marinas, na saída para qualquer  velejada e tem um lindo visual. Não bastasse, tem água doce para abastecer, chuveiro e tanque…. demais! Sem falar dos tantos churrascos que fizemos e das tantas pessoas que conhecemos e confraternizamos por aqui.

Nestes dias conhecemos a tripulação do Leva Vento, um casal super querido que tivemos  o prazer de conhecer. Já subiram a costa e estão descendo para passar o verão no sul. Esperam uma janela de tempo para prosseguir viagem. Com este casal, nosso amigo Jorge do Furioso, fez  uma perna nesta descida para o sul.

Agora com SUP novo não paro de remar, dei a volta na Ilha da Bexiga e cada dia vou me aventurando um pouquinho mais longe. Minha companhia para o stand up é  a Bella, que adora passear comigo pra lá e pra cá e se comporta muito bem.

A vida aqui é muito descomplicada. Será que você consegue imaginar como é nossa rotina diária? Acordamos com o sol entrando pela gaiuta (janela no teto da cabine de proa onde dormimos). O Renato abre o barco e vai para o cockpit, seca o orvalho se for o caso e leva a Bella para fora que está ansiosa para sair. Preparo e tomamos café no cockpit (na parte de fora do barco). Geralmente amanhece com o mar de azeite, lisinho e bom para standapear. Depois do café, que leva mais ou menos uma hora, o Renato limpa e seca o bote molhado de orvalho, verifica se é necessário abastecer de água ou combustível e toma as providencias. Eu lavo a louça e organizo o barco e acabou o trabalho.

Descemos com a Bella e ficamos na praia, conversando com os outros moradores dos barcos vizinhos, nos exercitando ou brincando com a Bella. Mais tarde lá pelas duas horas vou para o barco preparar nosso almoço.

Depois temos a tarde toda para ler, ir a praia tomar sol e agora jogar vôlei na praia com os amigos. Quando chega barco novo logo conhecemos e fazemos amizade. Final do dia retornamos para o Relax, tomamos banho na Prainha ou no barco. Lanchamos, lemos alguma coisa ou assistimos um filme no iPad, ou ainda nos reunimos em algum barco para um happy hour. Dormimos muito, das 21 às  08 horas. Vamos para a cidade somente quando precisamos comprar algo (comida, algo de manutenção ou para almoçar  fora) no mais nem lembramos de ir para a cidade, tão grande já é nosso distanciamento do agito. As vezes vamos 2 ou 3 vezes por mês para a cidade. Quando estamos aqui pensamos em que ilha ir conhecer, onde ir para mergulhar, onde ir para se abrigar do vento…. É muito diferente da vida urbana ou rural, é outra categoria, outros interesses, outras possibilidades e o mais incrível é a facilidade com que acostumamos com a vida no mar, ficar sobre a água, sim isso é incrível. Incrivelmente bom. Namastê 🙏🏼

Dias 316 a 324 , morando a bordo, de 22 a 30 de outubro de 2017, Paraty, RJ

Sobre Sailing Vessel Pharea

Eu, meu marido Renato Teixeira e a Bella, nossa Yorkshire, moramos a bordo e estamos conhecendo muitos lugares e dando volta ao mundo em um veleiro. Namastê 🙏🏼
Esse post foi publicado em Morando no Veleiro Relax ⛵️, Skipper 30 e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s