Primeira vez na rota de um Ciclone, Mykonos, Grécia ðŸ‡¬ðŸ‡·

Ontem (25) nossas visitas nos deixaram. O vento foi contínuo o dia todo, o Renato checou a previsão do tempo e era mesmo um ciclone que estava se formando.

Pela manhã o barco estava coberto por muito pó trazido pelo vento, tanto que se acumulava pelo convés todo, o Renato lavou duas vezes e ainda se via pó acumulado.

Estamos no terceiro pier da marina, com outros veleiros nos dois bordos. O Renato começou a preparar o barco, pois as ilhas Cyclades, no mar Egeu, estão na rota do Zorba, como foi denominado o Ciclone. Constatamos que perdemos uma capa de defensa na noite anterior, de tanto roçar no veleiro ao lado em função do balanço continuo e depois perdemos mais duas, até que tiramos todas. Aí reparamos que muitos barcos estavam sem as capas das defensas, inclusive nosso vizinho que depois comentou que também havia perdido.
De olho constante na previsão do tempo e acompanhando cada atualização, o Renato definiu as providências para preparamos o barco e ficarmos em segurança em outro local, afinal não tínhamos ideia de como seria este forte vento. Assim reservamos um studio próximo onde ficamos de 29/09 a 01/10.
No seu check list de providências constava:
РFechar o bimini, colocar sua capa e passar um cabo como refor̤o;
РColocar mais um cabo um cada um dos bordos e outro na proa para refor̤ar a amarra̤̣o;
– Tirar e guardar o dog house e passar cabo nas ferragens para segurá-las;
РRefor̤ar a amarra̤̣o do bote na proa;
РColocar mais um cabo refor̤ando a amarra̤̣o da genoa;
– Chegar a mestra de enrolar, caçando o máximo possível;
– Tirar e guardar as bóias salva-vidas da popa;
РPassar cabo de seguran̤a nas placas solares;
РPassar cabo de seguran̤a na capa da roda de leme;
– Guardar os dois croks que estavam presos no guarda-mancebo;
– Enrolar e colocar velcro em volta da bandeira do barco;
– Colocar os cadeados nos paióis externos;
– Abastecer o barco de água e diesel, caso haja necessidade de sair em emergência;
– Desligar os cabos de água e energia do totem da marina.
Internamente tomamos as seguintes providências:
– Guardar tudo nos armários não deixando nada solto dentro do barco;
– Fechar o registro do gás;
– Fechar registro de diesel;
– Fechar registro de entrada de água da rabeta;
РDestravar o fog̣o;
– Fechar registros dos banheiros e da cozinha;
РConferir o fechamento e trava de todas as gai̼tas e vigias;
– Levar todos os documentos pessoais, do barco e da Bella;
– Levar lanterna, computador, iPads, celulares, rádio e carregadado.

Li que desde 1979 ocorreram somente 9 desses ciclones, que se formam pela junção de vários fatores, e dentre eles o aquecimento da água do mar, que naqueles dias estava com uma temperatura em torno de 31 graus. Mykonos, onde estávamos, era num determinado momento da previsão, o centro do ciclone, com previsão de rajadas de vento de até 160km/h. Chegamos a pegar rajadas de 100km/h quando estávamos na marina, muito balanço e barulho dos estais e cabos… mas o centro não se deu aqui… fomos acompanhando as notícias e vimos que causou grandes estragos na região do Peloponneso, de onde vimos vídeos de embarcações indo ao fundo após bater no pier levado pelas fortes ondas causadas pelo ciclone, outros jogados na Praia, outros subindo no píer com as ondas e também a inundação da beira mar de várias cidades das ilhas do Arquipélago.
Resumindo, nessa situação o Comandante primou por fazer o possível quanto à proteção da Pharea e por nos deixar em segurança em outro local.

Sentimos em deixar o barco mas foi o correto a fazer, pois como passou sem muita força aqui, poderia também ter ficado ainda pior. Quando se tem 50% de chance em cada um dos lados, o melhor é seguir o bom senso, foi o que fizemos.
Na segunda (01/10) retornamos para o barco e o Renato me disse: agora vamos fazer a logística reversa… deu trabalho mas colocamos tudo no lugar, ele lavou novamente o barco, retirou as amarrações e constatou que a capa de nosso motor de popa havia sumido… que pena, nos pareceu que foi uma encomenda ☹️
Amanhã, passado o susto, se a previsão continuar a mesma, zarpamos daqui para a Ilha dos pistaches.
Namastê 🙏🏼

Dias 661 a 665. Morando a bordo, Ilha de Mikonos, arquipélago das Ilhas Cyclades, Mar Egeu, Grécia 🇬🇷. Dia 26 de setembro a 01 de outubro de 2018.

Sobre Sailing Vessel Pharea

Eu, meu marido Renato Teixeira e a Bella, nossa Yorkshire, moramos a bordo e estamos conhecendo muitos lugares e dando volta ao mundo em um veleiro. Namastê 🙏🏼
Esse post foi publicado em #Svphareanagrecia🇬🇷. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Primeira vez na rota de um Ciclone, Mykonos, Grécia ðŸ‡¬ðŸ‡·

  1. Elder disse:

    Com certeza foi um momento de muita apreensão, mas deu tudo certo ,vcs estão bem e o Pharea também,sem contar com mais essa experiência na bagagem . BV sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s