No caminho, grutas e mar cristalino!

Hoje (segunda, 16/07) vamos mudar de ancoragem, conhecer Uvala Bigova, lugar mais ao sul, fora da Baía de Kotor, com águas cristalinas e encostas calcárias com muitas grutas para mergulhar. Fomos ao mercado comprar frutas, legumes e pão, o Renato comprou diesel e gasolina, abasteceu de água na Marina de Kotor, de galão em galão, encheu os tanques e não teve nenhum custo, o atendente da Marina disponibilizou 😁.

Levantamos ancora as 10:30h fomos nos dirigindo rumo a saída da Baía de Kotor, fazendo o caminho inverso de quando chegamos. Passamos pelas duas ilhas que já comentamos aqui, a de Nossa Senhora das Rochas e a do Monastério e nos aproximamos da montanha que faz a entrada na Baía de Tivat, para ver de perto os túneis feitos na rocha no período da guerra, para a manutenção de submarinos.

Vimos também alguns bunkers (abrigos de guerra) ao longo da costa e dá um arrepio de pensar no que já se passou por aqui.
Na saída da baía de Tivat, estão alinhadas três fortalezas, que deviam dar as “boas vindas” para aqueles que invadissem por mar.

Felizmente agora, neste jovem país, que nem tem maioridade ainda, a guerra faz parte da história e permanecem seus ícones para que não se esqueçam os difíceis tempos passados.
Avançamos e chegamos na região das cavernas, são muitas, grandes, pequenas… de vários tamanhos e a água realmente é bem clara, muito lindo, estamos encantados com as formas e desenhos daqui.

A dica que nos deram é pegar uma poita, em frente a cidadela, e consumir algo no restaurante local, que as disponibiliza. Assim fizemos, ainda longe e o atendente do restaurante já estava segurando o cabo da poita para nos dar (42°21.370’N / 18°42.145’E), super solicito disse: Ah Brazilian…. Neymar, futebol… kkk nos lembrando que o Brasil havia perdido e já estava fora da copa….
A poita era ótima mas entrou um vento com rajadas de 34 knots e nos próximos dois dias o mar ficou balançando… até que desistimos de ficar lá devido às condições que seriam as mesmas para os próximos dias. Bigova é uma pequena cidadela, com um ou dois restaurantes na beira do mar, apartamentos de aluguel e casas de veraneio… vimos casas e hotéis desativados, aparentemente abandonados, possivelmente devido às dificuldades econômicas enfrentadas no país. Passeamos pela pequena cidade e sentimos a falta de infraestrutura e até um pouco da falta de capricho quando vimos lixo jogado pelas ruas.

Porém os quintais são encantadores, as garagens geralmente têm cobertura feita com um belo parreiral carregado de uvas 🍇 e também ameixas, figos e romãs carregados de frutas por toda a parte. Lindo de se ver. Possivelmente retornaremos para mergulhar nas cavernas, agora não aguentamos mais esse balanço contínuo… ruim para cozinhar, para dormir… não dá, e como é o ditado, se o mar não é bom ou a vizinhança não agrada… é só mudar de ancoragem. Namastê 🙏🏼.

Dias 586 a 588. Morando a bordo em Bigova, Montenegro 🇲🇪. De 16 a 18 de julho de 2018.

Sobre Sailing Vessel Pharea

Eu, meu marido Renato Teixeira e a Bella, nossa Yorkshire, moramos a bordo e estamos conhecendo muitos lugares e dando volta ao mundo em um veleiro. Namastê 🙏🏼
Esse post foi publicado em #svphareaemmontenegro🇲🇪. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s