Entrega do Veleiro Relax ⛵️⛵️⛵️

E já se passaram sete anos desde que compramos o Relax e como nossa vida mudou de lá para cá. Ao final deste tempo, o Relax nos trouxe para outro estilo de vida, desapegados da terra, felizes no mar e com o coração ainda mais cheio de amigos. Namastê 🙏🏼

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois da festa de despedida de ontem, descemos cedo na prainha para nos despedirmos do seu Domingos. Um senhor que cuida da prainha e que nos apegamos desde que paramos aqui pela primeira vez. Vontade de se demorar naquele abraço apertado e registrar na mente seu jeito simples e sua sabedoria com a natureza. Foi um grande prazer conhecê- lo!!! Saímos da prainha dos Vagabundos e voltamos para a Marina Farol de Paraty.

Dia de tomar as últimas providências e principalmente esperar o Augusto chegar, vindo de Curitiba. Ao final da tarde ele chegou, conheceu o barco pessoalmente e então constatamos que ele estava satisfeito e feliz em ser o novo proprietário do Relax. Nos contou que quando chegou na Marina deu de cara com o Adriano e a Aline do #SAL e ficou super feliz de conhecê-los, comentando algo que já havíamos percebido “me pareceu que eles nasceram com aquele belo sorriso na cara”… quer um elogio maior que este?! Elogiou muito os vídeos e disse que viu e reviu várias vezes o episódio do Relax 😀 e os demais. Obrigada amigos do #SAL, sabem que também somos seus fãs incondicionais!!!

O comandante apresentou o barco e ao final do dia já partimos para pernoite na Ilha da Cotia. Jantamos a bordo e também preparei nossa alimentação para os próximos dias e na manhã de sexta, às cinco horas zarpamos rumo a Antonina, PR  quase 300 milhas náuticas de distância. A viagem foi ótima, Renato e Augusto se revezaram nos turnos e eu fiquei encarregada de cuidar da Bellinha… que ficou no meu no colo a travessia toda. Ela não enjoa e vai super bem, mas não se alimenta no percurso, fica com receio de comer com o barco balançando.

Primeiro dia sem vento fomos motorando, mas no sábado o dia todo foi velejando, às vezes com bastante emoção! Chegamos na madrugada de  domingo e jogamos ancora em frente ao Clube Náutico de Antonina. Depois das providências de chegada fomos dormir… eu nem tanto, mas os dois estavam exaustos, pois descansaram pouco entre a troca de turnos, nas últimas 48 horas.

Acordamos próximo às 10h e queríamos dar uma geral no barco, colocar as coisas nos seus devidos lugares, pois durante a travessia tudo o que pode cair fica guardado, para ter a menor movimentação de coisas possível, durante as adernadas constantes da travessia. Barco arrumado próximo passo tomar banho…. ah o tão esperado banho após uma travessia… tudo o que se quer!!!!

Quando descemos para o pier da Marina, encontramos a esposa do Augusto, Liana, que veio buscá-lo, acompanhada de seus pais. Todos muito queridos e gentis. Ela nos trouxe um monte de guloseimas, doces e salgados e não faltou o espumante para comemorarmos a compra do barco. Brindamos no cockpit do Relax, todos conheceram o barco e fomos para a Cantina Casa Verde para almoçar. A recepção como sempre foi ótima, o André e a Gleisi nos receberam super bem e serviram seu maravilhoso menu degustação, prato adorável aprovado por todos.

 

 

 

 

Bem, depois do almoço eu e o Renato voltamos para o Relax, precisávamos arrumar nossas coisas para deixar o barco na terça pela manhã, quando nosso amigo Herbert viria nos apanhar para nos levar para Itajaí, na casa dos meus sogros.

Na terça partimos no final da manhã, com um nó na garganta por deixar o Relax, que foi nossa casa nos últimos dois anos. Mas a vida segue, novas experiências nos aguardam e o que realmente importa são os sonhos realizados e agora chegou o momento de darmos novos passos em direção à compra de um barco no exterior e assim navegar por lá, conhecendo tantos lugares já vistos e falados por nossos amigos velejadores.

 

 

 

 

Dói a despedida mas abrem-se novas possibilidades, como diz Clarice Lispector no texto a seguir, que reforça o momento pelo qual passamos.

MUDANÇA

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama… Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de tv, compre outros jornais… leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado… outra marca de sabonete, outro creme dental… Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!

Dias 398 a 403, morando a bordo do veleiro Relax. De 11 a 16 de janeiro de 2018. Voltando de Paraty, RJ para Antonina, PR.

Sobre Sailing Vessel Pharea

Eu, meu marido Renato Teixeira e a Bella, nossa Yorkshire, moramos a bordo e estamos conhecendo muitos lugares e dando volta ao mundo em um veleiro. Namastê 🙏🏼
Esse post foi publicado em Morando no Veleiro Relax ⛵️, Skipper 30. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s